Pink About It

english

26 de novembro de 2012

On the road

Verão se aproximando, clima de férias no ar… Não dá uma vontade de entrar num carro e sair por aí, no maior estilo “on the road”? Não? Ok, não tem problema se você não faz o tipo aventureira, mas tenho certeza que à estética viajante você não vai resistir.

Pense no seguinte cenário: você num carro conversível, viajando pelas estradas da Califórnia, sob um sol de 40 graus. Antes disso você havia passado por Peru, Índia, Turquia e África do Sul, e traz na sua mala um pouco de cada um desses lugares. O estilo ao qual eu me refiro é assim, cheio de referências étnicas dos mais variados países do mundo. Sabe quando você vai a uma casa que tem uma decoração super interessante, cheia de objetos diferentes, e que quando você pergunta ao morador de onde vieram, ele diz que trouxe um pouco de cada lugar por onde viajou? É essa mesma ideia, mas transposta para as roupas que você usa.

Nômade chique, étnico cool, gipsy contemporâneo… Fique à vontade para nomear esse estilo como bem entender, pois ele é livre de regras e imposições. Cada um interpreta de acordo com as referências que traz em sua própria bagagem. O importante aqui é se sentir livre para misturar, sem medo de errar, muito menos de ser feliz.

Quer tentar? Quem sabe usar aquela canga que você comprou em uma praia do Nordeste como saia, misturando com aquele colete de camurça com franjas de inspiração apache e as pulseiras de madeira africanas? Ou então pegue a sandália artesanal comprada em Saint Tropez, use com o seu short jeans surrado e aquela bata trazida da Índia. Arremate tudo isso com um bom chapéu, uma mochila nas costas, muita história pra contar e voilá. Você está pronta para botar os pés na estrada.

 

Boa viagem!

Por @ferdiprestes

Imagens: reprodução

21 de novembro de 2012

Minimalismo com um algo a mais

Quando fizemos um resumo das tendências para o próximo verão apresentadas nas temporadas internacionais, falamos que o minimalismo vinha para destronar o decorativismo que imperou nas últimas temporadas. Assim, sem entrar em detalhes, não explicamos bem que minimalismo é esse que viria para esfriar o nosso verão. Na verdade, o minimal dessa vez nem é tão frio assim, ele vem aquecido por um “algo a mais”.

Depois de ter a sua fórmula usada a exaustão por marcas como Céline, Calvin Klein e Chloé, o minimalismo resolveu aparecer repaginado pelas mãos de novos criadores. Balenciaga, Givenchy e Dior, nomes que não costumam se relacionar com o estilo, aparecem como mentores desse novo minimal. A essência do minimalismo que nós já conhecemos segue firme e forte: cartela de cores concisa (preto e branco predominam, como já falamos aqui), modelagens inspiradas na arquitetura e formas retas. Mas o minimal da vez passa longe da austeridade e ganhou um toque de feminilidade e sensualidade que fez toda a diferença.

As marcas que investiram na tendência, apostaram nos mesmos temperos: pontuaram suas coleções com pele à mostra em recortes estratégicos e transparências, e acrescentaram babados e tecidos leves para amenizar a rigidez do estilo e deixá-lo com mais cara de verão. O resultado é uma moda que contrasta formas limpas com detalhes delicados, tecidos estruturados com leves transparências e silhueta seca com sensualidade sutil.

A leitura mais interessante veio de Nicolas Ghesquière, que em sua última coleção para a Balenciaga promoveu um inusitado encontro entre dançarinas de flamenco e o novo minimal. A combinação resultou em looks estruturados de saias e blusas croppeds, com a rigidez quebrada por babados que sobem pela perna, como na imagem abaixo, seguida pelas versões de Givenchy, Calvin Klein, Margiela e Theyskens Theory.

 

Por @ferdiprestes

Imagens: FFW

 

 

31 de outubro de 2012

Verão em preto e branco

Já falamos em nossos resumos das semanas de moda internacionais que o próóóximo verão (não esse que está começando agora no Brasil, o próximo do Hemisfério Norte) terá duas cores-chave: o preto e o branco. Como nós já sabemos dessa informação, não vamos esperar o próóóximo verão para botarmos a tendência em prática, certo? Vamos treinando desde agora para que, quando o nosso verão em preto e branco chegar, nós já estejamos experts no assunto.

Realmente vai ser preciso um pouco de treino para que a gente se acostume a um verão com essas “cores não-coloridas”. Depois de estações marcadas pelo color blocking, pelos tons pastel e fluo e pelo mix de estampas, o que vem por aí é o oposto. Tudo indica que, junto com o preto e branco, volta uma moda mais austera e sóbria, tirando de vez o decorativismo da ordem do dia.

Isso quer dizer que não é só nas cores que teremos mudanças, mas também nas formas e nos materiais. O verão será mais minimalista, com formas estruturadas, linhas retas, poucas estampas e muito couro e alfaiataria. Tudo isso em meio a muita transparência, recortes inusitados e pele à mostra, afinal, é verão.

Apesar de não estar muito de acordo com a ideia que temos da estação, a nova tendência promete momentos de calmaria após a tempestade de maximalismos que vivemos nas últimas temporadas, além de ser quase à prova de erros. Para quem quiser ir se inspirando, alguns bons exemplos de looks de verão em preto e branco:

Por @ferdiprestes

Imagens: The Sartorialist e Stockholm StreetStyle

24 de outubro de 2012

Swinging 60’s

Todo mundo tem uma década preferida, não tem? Aquela década que você se identifica mais, seja pela música, pela moda ou pelos acontecimentos históricos, e faz você pensar “como eu queria ter nascido naquela época…”. Bom, eu pelo menos tenho a minha, na verdade as minhas décadas preferidas: os anos 60 e os 70.

Por sorte, a moda sempre acaba trazendo um pouco das nossas épocas favoritas de volta e nos dá um gostinho de como teria sido viver naquele tempo. Há uns meses atrás falei aqui que os anos 20 eram a “década da vez”, lembram? Pois agora tenho o prazer de anunciar que a década de 60, uma das minhas queridinhas, está de volta à moda.

Para entender melhor a moda dos anos 60, é preciso saber o que estava acontecendo no mundo na época – vocês vão ver que tudo está relacionado. Os babyboomers nascidos após o fim da guerra cresceram e se tornaram adolescentes nos 60’s. Com uma população predominantemente jovem, era de se esperar que a década fosse cheia de revoluções, a começar pela criação da pílula anticoncepcional, em 1961, que culminou na revolução sexual. Ainda em 1961, o homem fez sua primeira viagem ao espaço, o que deu origem ao futurismo e alterou o modo de vestir da época. Outra revolução – para o mundo e para a moda – aconteceu quando, em 1964, Mary Quant resolveu subir a barra das saias, criando a minissaia. O palco de toda essa efervescência era Londres – terra dos Beatles, dos Rolling Stones, da modelo Twiggy e de outros ícones da década – que passou a ser chamada de Swinging London.

Todas essas mudanças refletiram na moda, que se tornou totalmente jovem e inovadora, rompendo de vez com a “caretice” dos anos 50. Na prática, a moda dos anos 60 foi marcada pela silhueta em A, pelas saias curtas, pelo uso do plástico e de tecidos metalizados em looks futuristas, e pelos sapatos (botas, de preferência) brancos – tudo o que a gente tem falado aqui no Pink que são as tendências do momento.

Pra vocês verem como a moda dos 60’s era tão moderna que continua moderna até hoje, olhem essas fotos da época comparadas com imagens de desfiles recentes:

Porque moderninhas mesmo eram as nossas avós, né?

Por @ferdiprestes

Imagens: Youthquaker e FFW

18 de outubro de 2012

É a vez de Paris, #PFW

Duas vezes por ano todos os olhares se voltam para Paris, pois é lá que acontecem as semanas de prêt-à-porter mais aguardadas entre os fashionistas. Se Nova York tem o frescor, Londres a vanguarda e Milão a elegância, é Paris que reúne os principais nomes, aqueles que realmente têm o poder de lançar tendências.

Agora, sem mais delongas, vamos ver quais foram as tendências lançadas nessa temporada em Paris.

O estilo: nessa temporada o decorativismo perdeu suas forças e deu lugar a coleções mais minimalistas. Até marcas como Balenciaga, que não é muito adepta do estilo, privilegiaram as formas mais retas e estruturadas em suas coleções. Ainda assim, é possível perceber alguns outros temas recorrentes, como o japonismo – aqui representado pela Hermès – e o safári da Kenzo.

O tecido: o jeans bruto, sem qualquer tratamento ou lavagem, foi a novidade da temporada no quesito tecidos. Aqui as versões da Balmain, Chanel e Miu Miu.

A cor: o preto e o branco, juntos, formam a dupla infalível da estação. Apesar de não combinar tanto com o verão, a clássica combinação é garantia de elegância. Aqui modelos das coleções de Anthony Vaccarello, Céline e, claro, da Chanel.

O look: se em Nova York foi o terno branco, em Paris o destaque foi para o traje de gala masculino, o smoking, que ganhou releituras pelas mãos de diversos estilistas. O smoking virou um macacão na coleção de Jean Paul Gaultier, ficou mais feminino na Dior e ganhou versão oitentista na Balmain.

O detalhe: depois da febre do peplum – que ainda não saiu totalmente de cena, diga-se de passagem – os babados localizados nas golas e na barra das saias vêm para dar um toque de feminilidade à moda da estação. As imagens são das coleções da Balenciaga, Chloé e Givenchy.

A estampa: a temporada é das estampas com formas geométricas. Depois das listras em Nova York, em Paris foi a vez do quadriculado e do pois aparecerem nas coleções de marcas como Louis Vuitton, Chanel e Haider Ackermann.

O sapato: o clássico scarpin foi o preferido da temporada, mas nós destacamos também o famigerado salto de acrílico, que apareceu em diversas coleções. Essa tendência dá continuidade aos sapatos com detalhes em plástico, que nós já mostramos aqui. Os modelos abaixo são de Alexander McQueen, Stella McCartney e Valentino.

O acessório: o cinto super largo apareceu em diversas coleções com interpretações diferentes. Na coleção ultra feminina da Alexander McQueen ele lembra um espartilho, já nas coleções mais austeras de Ann Demeulemeester e da Saint Laurent, o cinto parece mais uma armadura.

Por @ferdiprestes
Imagens: FFW e Style.com

11 de outubro de 2012

NY Fashion Week, nosso “resumão” após a sinapse

A semana de moda de Nova York, uma das quatro principais do mundo, é conhecida por apresentar uma moda altamente usável e desejável. Isso quer dizer que, com algumas exceções, as marcas que desfilam na cidade não são grande lançadoras de tendências, mas mostram coleções boas de assistir e que podem sair diretamente da passarela para as ruas.

Abaixo, fizemos um resumo com os principais destaques da temporada primavera/verão 2013:
O estilo: impossível falar de um só estilo em comum entre tantos desfiles, mas podemos perceber algumas tendências principais. O estilo esportivo costuma ser recorrente entre as apresentações da semana de moda de Nova York, e nessa temporada não foi diferente. Rag & Bone, Helmut Lang e Lacoste estão entre as marcas que apostaram nessa tendência. Outras marcas, como Jill Stuart, Jenny Packham e Marc Jacobs, optaram por um estilo retrô, com ares de anos 50, mais ladylike, e 60, mais futurista. As imagens são dos desfiles de Helmut Lang, Jill Stuart e Jenny Packham.

O tecido: não é exatamente um tecido, mas o couro se tornou um dos materiais preferidos dos estilistas em suas coleções de verão, superando o estigma de que só poderia ser usado no inverno. Para tirar o aspecto pesado, a maioria das marcas optou por utilizá-lo com tecidos leves e transparentes. Abaixo, modelos de Jason Wu, BCBG Max Azria e Reed Krakoff.

A cor: o branco reinou absoluto na maioria das passarelas de Nova York, mas, tratando-se de verão, um pouco de cor é sempre bem vindo. O azul e o verde – juntos, de preferência – e o laranja cumpriram o papel de alegrar a estação. Imagens de Victoria Beckham, Proenza Schouler e Narciso Rodriguez.

O look: o terno branco, que se tornou uma verdadeira obsessão para mim, tem tudo a ver com as noites de verão. Aqui ele aparece em três versões: mais moderno, da Calvin Klein; clássico e elegante, da Oscar de la Renta; e despojado, da Tommy Hilfiger.

A silhueta: as décadas de 50 e 60 voltam a aparecer por aqui, definindo a silhueta da estação. Dos anos 50 vem a cintura marcada, que evoca uma mulher mais romântica e feminina, como a de Monique Lhuillier. Já dos anos 60 vem os vestidos de comprimento mini e corte em A, como mostrado por Michael Kors. O shape reto e afastado do corpo também apareceu bastante, principalmente nas coleções de marcas mais modernas, como Alexander Wang.

O sapato: a controversa gladiadora vem maximizada nessa temporada, em versões que deixam em dúvida se são sandálias ou botas. Apareceram nas coleções de Altuzarra, Proenza Schouler e Victoria Beckham.

A estampa: esqueçam os alegres florais que estamos acostumados a ver (e vestir) no verão. Dessa vez foram as listras que dominaram as passarelas, seja nas versões mais gráficas de Marc Jacobs e Michael Kors, ou mais navy como na Tommy Hilfiger.

A animal print: apesar da onça ainda ser a preferência nacional quando se trata de animal print, é a cobra que vem aparecendo nas melhores coleções da estação, como a de Proenza Schouler e Reed Krakoff.

A beleza: maquiagem “nada”, fresh e iluminada, como pede o verão. Os cabelos repartidos no meio e com os fios bagunçados foram os mais vistos nos desfiles de Nova York. Não posso deixar de destacar a trança espinha de peixe de Tory Burch, penteado lindo e tudo a ver com a estação.

Imagens: FFW e Style.com

Por @ferdiprestes

08 de outubro de 2012

Os hitmakers

Há algumas marcas e estilistas que são verdadeiros “hitmakers”, vocês já notaram? São marcas que têm a capacidade de criar desejos instantâneos e fazer o coração das fashionistas baterem mais forte. Prada, Marc Jacobs, Balenciaga e Isabel Marant são alguns dos nomes que têm o poder de “transformar em ouro” tudo aquilo que tocam.

E para medir quem está por cima na escala de hits, nada melhor que as semanas de moda, período em que todos querem desfilar pelas ruas com os seus melhores looks e mostrar que estão por dentro das tendências da estação. Analisando as fotos de street style fica fácil perceber quais são as marcas que emplacaram os hits da vez. Nessa ocasião, as mulheres não se importam de encontrar seus “pares de vaso”, afinal, como diz Anna Dello Russo, se alguém está usando o mesmo look que você, é porque você fez a escolha certa.

De acordo com o meu levantamento – e baseada em mais nada além disso – essas foram as marcas que conseguiram emplacar os maiores hits da temporada:

Stella McCartney: a coleção de inverno da estilista foi a preferida de quem gosta de roupas com inspiração esportiva. Entre as peças da coleção, o vestido de lã com recortes foi o que mais conquistou os corações e as ruas.

Dolce & Gabbana: para as mais dramáticas, a coleção de inspiração barroca da Dolce & Gabbana foi um prato cheio. As peças com bordados que lembram tapeçaria, especialmente as bolsas, se tornaram desejo e estão entre as mais vestidas durante as semanas de moda.

Isabel Marant: depois de transformar em febre os tênis com salto, a estilista francesa acertou mais uma vez com a sua coleção de inspiração country. A peça hit da vez? A jaqueta que conquistou até Costanza Pascolato.

Givenchy: a marca deu todo um novo significado ao termo animal print ao trazer em sua coleção estampas de bichos, mas não os desenhos de suas peles, como estamos acostumados a ver, e sim os rostos de animais serigrafados. Não preciso nem dizer que as peças foram sucesso de vendas, né?

Balenciaga: apesar de tudo, não teve sucesso que se compare às peças com estampa sci-fi da Balenciaga. A coleção com inspiração nos anos 80 e gosto um tanto duvidoso, na minha opinião, virou febre entre as fashionistas e deu à marca o posto de hitmaker da estação.

Agora é esperar para ver quais serão os hits da próxima temporada. Façam suas apostas!
Por @ferdiprestes
Imagens: Style.com

01 de outubro de 2012

Tradição para chamar de sua

Não é a primeira vez que artefatos de couro personalizáveis, de marca tradicional, caem nas graças e viram hit, como se tivessem acabado de ser lançados.

Resgatar o tradicional está definitivamente na moda, tanto quanto encontrar pequenas/grandes marcas com longa história de vida e produtos artesanais de qualidade inquestionável. Tornar-se único é uma obsessão dos tempos modernos. E quando a exclusividade está associada a algo feito especialmente para si, e parece antiga como se tivesse sido herdada há gerações, score! – nos dias de hoje parece ser tudo o que se quer.

Foi assim com as bolsas da Cambridge Satchel, “britânica da gema” que virou objeto de desejo entre os fashionistas e circulou pelos centros mais badalados da Europa, em tons que vão dos metalizados (dourado e prata) ao fluo, passando pelos neutros, alguns destes modelos ainda decorados com as iniciais do seu dono.

Agora a bola da vez é outra marca igualmente britânica, que tem a cara do novo embora esteja no mercado desde 1887.

Ícone de sofisticação, com marcas registradas como a personalização e os produtos em couro com ampla cartela de cor, a Smythson vem fazendo sucesso com itens como o notebook de dizeres divertidos, como este a venda no e-commerce da Barneys NY.

 

 

Sonho de consumo de quem quer tradição para literalmente poder chamar de sua.

 

Lembram da investigação a respeito da sobreposição de bolsinhas? Pois não sosseguei até encontrar a origem e algo me diz que a Smythson, seus notebooks, porta-gadgets e clutchs minimalistas, tem TUDO a ver com isso.

Beijos, @recallage

26 de setembro de 2012

Top 5: pegadinhas da moda

Na moda, a regra primordial é: nunca diga nunca. As chances de você cair em contradição ao propagar aos quatro ventos que “jamais usaria tal peça” são imensas. Isso porque a moda vive nos pregando peças, e roupas que um dia foram símbolos de mau gosto, hoje podem ser objetos de desejo.

Pensando nisso, preparei uma lista com cinco tendências que já invadiram as ruas de Nova York e Londres, e que podem ser consideradas “pegadinhas fashion”. Ou seja, aquilo que em um primeiro momento podemos torcer o nariz, mas que no fim das contas vamos acabar simpatizando ou até usando.

Sapatos brancos: os sapatos brancos são, sem dúvida, objetos de grande discórdia no mundo da moda. Durante anos eles foram uma unanimidade – ninguém gostava -, mas nas últimas temporadas eles têm frequentado as melhores passarelas e aos poucos estão reconquistando o seu espaço nas ruas.

Barriga bem de fora: tudo bem, já faz algum tempo que nós aceitamos que as barrigas à mostra voltariam a conviver em sociedade, mas com uma condição: os umbigos ficariam escondidos. Pois algumas mulheres resolveram desacatar o consenso fashion e ir além, mostrando barrigas inteiras, com umbigo e tudo.

Bonés: acessório fundamental das tendências hip hop e esportiva, o boné parecia que não teria fôlego para ganhar as ruas. E não é que ele nos enganou direitinho? Na categoria “acessórios de cabeça”, ele foi o mais visto pelas ruas durante as últimas semanas de moda. Deve ser uma boa alternativa para os bad hair days, né?

Mechas coloridas: por essa ninguém esperava, mas o cabelo do momento tem mechas coloridas. A coisa ficou tão séria que até Oscar de la Renta, um dos mais clássicos estilistas, levou a tendência das ruas para o seu recente desfile.

Óculos espelhado: diretamente das praias dos anos 80, os óculos com lentes espelhadas voltaram à moda conquistando as fashionistas menos discretas. Apesar de não me encaixar nesse time, não há como negar que o acessório levanta qualquer look.

 

E nós, resistiremos ou sucumbiremos a essas pegadinhas da moda?

Por @ferdiprestes

Imagens: Vogue, Style.com e Street Peeper

18 de setembro de 2012

Plastic dreams came true

Lembram dos meus (ou seriam nossos?) plastic dreams de verão?

Pois não resta dúvida de que eles se tornaram uma realidade.

Só dá sapatinhos com detalhes em “plástico” ou outras texturas, mas é unânime a preferência pelos materiais translúcidos.

Repara só nos pézitos das colegas bloggers que são uma boa amostra do que está rolando por aqui:

Louboutin_laçinhos_

Paula Martins, do blog Look do dia e seu Louboutin de laçinhos

Miezko_scarpin_spikes_pinkaboutit

A Ane Medina, do blog Eu maquio, com Miezko de spikes

Marina do blog Ask Mi (e a marca do sapato eu vou descobrir ;)

Nati Vozza do Glam4You de Prada

Mariah Bernardes, do blog da Mariah com Nicholas Kirkwood

Eu já matei meu desejo, logo mais eu mostro pra vcs aqui.

Beijos, @recallage

 

Destaques

Busca

Arquivos

Blogroll

Tags

Calendário

julho 2014
S T Q Q S S D
« dez    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Newsletter

Muitas das imagens deste blog vem de fontes diversas, sendo em sua maior parte externas e muitas não autorizadas. nenhuma das fotos pertencem ao Pink About It, a menos que sejam creditadas. Se alguma foto de sua autoria estiver neste blog e você deseja sua remoção, favor enviar um e-mail para renata@pinkaboutit.com que prontamente a retiraremos do ar. Obrigada!!!